terça-feira, 26 de abril de 2016

SAÚDE FÍSICA: Artrite Reumatóide

A Artrite reumatóide (AR) é uma doença que pode nos acometer em qualquer idade, mas mais comum em pessoas mais velhas, e com certeza você já ouviu alguém falar que tem. Mas você sabe o que é?

A AR é uma doença sistêmica crônica.
Sistêmica: pode atingir diversas partes do nosso corpo, embora atinja mais as articulações.
Crônica: não tem cura, mas pode ser controlada.

A causa da doença ainda não é conhecida, mas os cientistas acreditam que seja uma combinação de fatores genéticos com ambientais. O tabagismo pode também ser um agente causador, além de poder agravar a doença.

Já é sabido é que a AR é uma doença autoimune, ou seja, os tecidos são atacados pelo próprio sistema imunológico do indivíduo. O sistema imunológico, que é responsável por proteger o nosso organismo de vírus e bactérias, ataca os tecidos do próprio corpo (nesse caso, especificamente a membrana sinovial). Com isso ocorre uma inflamação das articulações, principalmente nas mãos e nos pés. É importante lembrar que, por ser sistêmica, ela pode ocorrer em outras articulações, como joelhos, tornozelos, ombros e cotovelos, além de outras partes do organismo (pulmão, olhos, coluna cervical). 

Prevalência:
- Mulheres;
- Maior frequência entre 40 e 60 anos;
- Afeta 0,5 à 1% da população mundial;
- Afeta 0,46% da população brasileira.

Os principais sintomas da doença são as dores, a rigidez articular, inchaço e inflamação das articulações e membranas sinoviais (película fina que reveste as articulações). Se a pessoa não trata a doença adequadamente, com a evolução da caso, pode ocorrer a incapacidade de realizar algumas atividades de vida diária.

A evolução da doença varia de caso para caso, mas podem ocorrer lesões ósseas e articulares irreversíveis, além da perda da qualidade de vida.


Fonte: www.isaudebahia.com.br

O diagnóstico é clínico, juntamente com exames radiológicos e de sangue.

O tratamento depende do grau de evolução da artrite, sendo recomendado em algumas vezes:
- Tratamento não medicamentoso: repouso dependendo do momento, exercício, terapia física, ocupacional e dieta. Além disso, são tomadas medidas gerais para proteger as estruturas e suas funções;
- Tratamento medicamentoso;
- Tratamento cirúrgico: para correção de anormalidades funcionais, rompimento de tendões ou destruição óssea.


FISIOTERAPIA NA ARTRITE REUMATÓIDE

O papel do fisioterapeuta nessa doença é trazer qualidade de vida. Em muitos casos, encontramos pacientes que apresentam grau de dor elevado, portanto, é necessário um bom direcionamento quanto a realização de exercícios físicos que auxiliem a manter a função, sem prejudicar as estruturas. Além disso, podemos atuar com terapias que auxiliem na analgesia das lesões já instaladas.

O Consenso Brasileiro de artrite reumatoide sugere que a proteção articular deve ser feito através do fortalecimento da musculatura, juntamente com um adequado programa de flexibilidade, evitando o excesso de movimento e privilegiando as cargas moderadas, sempre respeitando a individualidade de cada paciente.

Também podemos atuar com órteses, como objetivo de aliviar as dores mioarticulares por estabilização articular, contenção e realinhamento. A sua utilização deve ser intermitente, exceção feita às órteses para os pés.


ATENÇÃO: As informações existentes neste blog pretendem apoiar e não substituir a consulta médica. Essas informações são de caráter educativo, por isso, em caso de dúvidas, não hesite em realizar sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança

FONTE:
1) Atualização do Consenso Brasileiro no Diagnóstico e Tratamento de Artrite Reumatóide
2) www.artritereumatóide.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário